sexta-feira, 18 de março de 2011

Carta do Gerente Geral da Orquestra Filarmônica de Belgrado, Tasovac Ivan, ao Presidente da FOSB


Sr. Eleazar de Carvalho
Presidente da Fundacao Orquestra Sinfonica Brasileira

Caro senhor,
Fui informado pela Federação Internacional de Músicos sobre sua decisão de realizar um processo de avaliação de desempenho entre os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira. Embora acreditando na sua intenção e objetivo de melhorar a qualidade artística de sua orquestra, devo expressar minha profunda preocupação com a completa inadequação do procedimento a que os músicos da orquestra estarão sujeitos.

Acreditamos firmemente que o diálogo e a conversa construtiva são fundamentais para o trabalho de todas as instituições, especialmente em um campo tão específico como as artes e a cultura. Neste caso particular, uma aberta troca de opiniões com os representantes dos músicos é especialmente importante na prevenção de conflitos e resolver problemas que obviamente a sua orquestra está enfrentando.

Gostaria também de acrescentar que em todas as orquestras sinfônicas do mundo, cada músico tem que passar por um teste, a fim de ser aceito como parte do conjunto. Assim, não tenho dúvidas de que isso também aconteceu no caso de todos os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira. Cada um dos seus concertos representa um teste em si, então esta tentativa de re-audição, só pode resultar em estresse e sofrimento desnecessário para os músicos.

Eu acredito fortemente que você, sendo um artista mesmo, pode facilmente reconhecer a iniquidade do seu gesto e da injustiça que você faria aos seus colegas, se você tivesse que começar esta decisão. É por isso que eu também confio que você será capaz de conciliar as expectativas legítimas dos músicos e, ao mesmo tempo, aumentar a qualidade de sua orquestra.

Como Gerente Geral de uma orquestra, que compartilha muitos de seus problemas, eu estou pedindo que você inicie o diálogo mútuo logo que possível, a fim de tentar encontrar soluções, e a melhor maneira possível para atingir o nível necessário de excelência que é, como acredito, o objetivo comum das duas partes.

Atenciosamente,
Tasovac Ivan,
Gerente Geral
Orquestra Filarmônica de Belgrado
Sérvia

                                                       ____________________

Dear Sir,
I was informed through the International Federation of Musicians about your decision to undertake the process of performance evaluation among musicians of the Brazilian Symphony Orchestra. Although I wish to believe in your intention and goal to improve artistic quality of your orchestra, I must express my deepest concerns about inappropriateness of the complete procedure the orchestra musicians are subjected.

We strongly believe that mutual dialogue and constructive conversation is crucial for the work of all institutions, especially in such a specific field as arts and culture. In this particular case, open exchange of opinion with the performers’ representatives is especially important in preventing more conflicts and solving problems which your orchestra is obviously facing.

I would also like to add that in all symphonic orchestras in the world, every musician must pass the audition in order to be accepted as the part of an ensemble. So, there is no doubt that this also happened in the case of all musicians from the Brazilian Symphony Orchestra. Each of their concert performance presents an audition itself, so every attempt of re-auditioning can only result with unnecessary stress and grief for the musicians.

I strongly believe that you, being an artist yourself, can easily recognize the unfairness of your gesture and injustice you would do to your colleagues if you were to commence this decision. That is why I also trust that you will be able to reconcile legitimate anticipations of the performers, and at the same time, increase the quality of your orchestra.

As the General Manager of an orchestra, who shares many of your problems, I am urging you to start with mutual conversations as soon as possible, in order to try to find solutions, and the best possible ways to reach the necessary level of excellence which is, as I believe, the goal of which both sides agree upon.

Yours sincerely,
Ivan Tasovac,
General Manager
Belgrade Philharmonic Orchestra
Serbia