quinta-feira, 10 de março de 2011

Moção de Repúdio da AMOSN-UFF, Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica Nacional UFF

A AMOSN-UFF, Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica Nacional UFF, certa da legitimidade e eficácia de sua representação diante do corpo orquestral da OSN-Uff, solidariza-se com a luta dos colegas da Orquestra Sinfônica Brasileira e manifesta o seu desagravo às políticas de gestão autocrática na OSB, na contramão a um modelo afinado com a democracia que vivemos no país, em que os músicos têm participação ativa e concreta nas decisões que dizem respeito ao seu desempenho profissional.

O poder centralizador do Sr. Roberto Minczuk nas gestões simultâneas da OSB e da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal geram graves conflitos de interesses e danos irreparáveis não apenas à classe musical, mas, principalmente, às tradições culturais do Estado do Rio de Janeiro.

O sr. Minczuk, em seu discurso, eleva o conceito de ‘excelência’, ou de superioridade pura e simples, a uma abstração ética e à lógica de falsa moralidade.

Por um mercado de trabalho legítimo e consciente que resgate a universalidade, o respeito artístico e profissional e a dignidade do músico brasileiro.

Pela Ética na Música.

AMOSN UFF

Raul D´Oliveira – presidente
Clay P Brasil – vice
Lulu Pereira – diretor

                                          ____________________________________

Motion of Denial by the National Symphony Orchestra Musicians Association

The AMOSN-UFF, National Symphony Orchestra Musicians Association, aware of its legitimacy and effectiveness as National Symphony Orchestra representation, sympathizes with the plight of fellow Brazilian Symphony Orchestra and expresses its protests against the autocratic OSB management policies, contrary to a model adjusted to the democracy we practice in this country, where musicians take an active and concrete part on decisions related to their professional performance.
The centralized power of Mr. Minczuk as, simultaneously, artistic director of OSB and Symphony Orchestra of Theatro Municipal generate serious conflicts of interest and irreparable damage not only to musical environment, but mainly to the cultural traditions of the State of Rio de Janeiro.
Mr. Minczuk, in his speech, takes the concept of 'excellence', or pure and simple superiority, to an ethics abstraction and to the logic of false morality.
For a legitimate and conscious labor market that rescue the universality, artistic and professional respect and the dignity of the Brazilian musician!
For Ethics in Music!
AMOSN UFF

Raul D´Oliveira – presidente
Clay P Brasil – vice
Lulu Pereira – diretor

Rio de Janeiro, 09/03/2011