terça-feira, 12 de abril de 2011

Carta Aberta

Priscila Plata Rato,
Marco Antonio Catto Ribeiro,
Lúcia Morelenbaum e Leonardo Soares de Sousa
(músicos da OSB que participaram da prova de "avaliação de desenpenho")
Rio de Janeiro, 11 de abril de 2011.
Prezados Dr. Eleazar de Carvalho Filho e Sr. Roberto Minczuk,
Comunicamos que a partir desse momento não participaremos de nenhuma função da programação da OSB enquanto a atual situação se sustentar. Tomamos essa decisão por total repúdio a tudo que tem acontecido. Consideramos uma afronta à dignidade de toda a classe musical tudo o que está sendo imposto pela FOSB. Não faremos parte de um sistema onde o profissional não é respeitado e tem sua história desconsiderada. A crise chegou a um ponto inimaginável, o qual não podemos aceitar. Pelos nossos princípios, não nos imaginamos fazendo música sem a tranquilidade que um artista precisa para produzir, dentro de um ambiente com tantas tensões e desarmonia. Tememos que as negociações entre os músicos demitidos não cheguem a um resultado justo e satisfatório. Também temos receio de que a OSB Jovem sofra injustas retaliações pela postura tomada no concerto do dia 9 de abril de 2011. Manteremos essa posição até a FOSB reintegrar os músicos demitidos e atender a todas as exigências deles. Queremos a OSB de volta.
Sinceramente,
Priscila Plata Rato e Marco Antonio Catto Ribeiro