segunda-feira, 18 de abril de 2011

G1 - Pop & Arte

18/04/2011 17h58 - Atualizado em 18/04/2011 21h05

Roberto Minczuk pede exoneração da direção artística do Theatro Municipal

Maestro, porém, se mantém à frente da Orquestra Sinfônica Brasileira.
Com a decisão, Sílvio Viegas passa a responder interinamente pelo cargo.


O maestro Roberto Minczuk pediu exoneração do cargo de diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro após uma reunião com o Conselho da Orquestra Sinfônica Brasileira, realizada na manhã desta segunda-feira (18). Apesar da exoneração, Minczuk segue como maestro da OSB.
Com a decisão, o regente titular da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal (OSTM), maestro Sílvio Viegas, passa a responder interinamente pelo cargo.
O pedido de exoneração de Minczuk foi uma solicitação da própria Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira, que formalizou ao maestro o desejo de tê-lo integralmente dedicado à restruturação por que passa a instituição.

Contraproposta elaborada na semana por músicos demitidos da Fundação OSB, para que aceitassem a reintegração à instituição, pedia que Minczuk deixasse de ocupar a função de diretor artístico na Orquestra Sinfônica Brasileira, além do afastamento do maestro do cargo de regente titular. As sugestões não foram acatadas.

Avaliações podem mudar
Em reunião realizada nesta segunda (18), o conselho que integra a fundação ratificou a proposta de readmissão dos músicos afastados, convertendo as justas causas em suspensão de dois dias. O retorno imediato às funções regulares fica condicionado à realização da avaliação de desempenho, agendada para junho, nos moldes sugeridos pelos próprios músicos na reunião realizada em conjunto com o representantes do conselho no último dia 8.

As avaliações serão adaptadas para um formato de música de câmara, em que os músicos formarão seus próprios conjuntos e escolherão peças de uma lista de compositores do clássico ao contemporâneo, fornecida pelo maestro. Eles apresentarão dois movimentos contrastantes para uma banca composta pelo maestro, o chefe de naipe e três convidados externos escolhidos pelo maestro e referendados pelo conselho.
O conselho da Fundação OSB também propôs a reabertura do prazo para sugestões dos músicos ao novo regimento interno, submetido à aprovação; a criação de um conselho artístico para auxiliar na retomada da temporada 2011; e a continuidade das atividades da OSB Jovem. O prazo estabelecido pelo conselho para que os músicos possam ser reintegrados às suas atividades é o próximo dia 25.

Denúncia de assédio moral
Depois de uma audiência pública realizada na tarde desta segunda-feira, a Assembléia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) decidiu encaminhar para o Ministério Público do Trabalho uma denúncia de assédio moral contra o maestro Roberto Minczuk. De acordo com o presidente da Comissão de Cultura da Alerj, Robson Leite (PT), o maestro, na companhia de seguranças armados, teria ameaçado integrantes da OSB Jovem com o objetivo de obrigá-los a substituir os instrumentistas demitidos na orquestra principal.
Procurada pelo G1, a assessoria de imprensa da Fundação OSB negou as acusações e esclareceu que tanto os seguranças contratatos pelo teatro quanto os terceirizados não trabalham armados. A assessoria afirmou também que o maestro Minczuk está fora do país e não poderia conceder entrevista.