sexta-feira, 8 de abril de 2011

OSB se reúne com demitidos para tentar encerrar a crise

O Globo - Cultura
Plantão
| Publicada em 08/04/2011 às 00h32m
Catharina Wrede e Luiz Fernando Vianna
 
RIO - A crise na Orquestra Sinfônica Brasileira se aprofunda com a desistência - antecipada na quinta-feira no GLOBO pelo colunista Ancelmo Gois - dos bailarinos Ana Botafogo e Alex Neoral de dançar no sábado, ao lado da OSB Jovem, na abertura da temporada 2011, no Teatro Municipal. Bailarinos substitutos seriam convidados ontem à tarde.
Para tentar pôr fim à crise, a fundação que dirige a OSB resolveu retomar o diálogo com os 32 músicos demitidos. Na manhã de quinta, uma carta assinada pelo presidente da Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira (FOSB), Eleazar de Carvalho, foi enviada aos insurgentes convidando-os para uma reunião nesta sexta, às 17h30m, no escritório da instituição.

Segundo a direção da OSB, a reunião não é um recuo, mas demissões poderão ser revistas se os músicos aceitarem ser avaliados. Até o momento, 38 integrantes da orquestra tocaram para sete examinadores.

De acordo com Luzer Machtyngier, ex-presidente da comissão de músicos e um dos demitidos por justa causa, a carta não adiantava nenhuma proposta. O objetivo é comparecer ao encontro e ouvir a administração. O maestro Roberto Minczuk, idealizador das avaliações, não estará presente.
- Qualquer tipo de conversa tem que ser iniciada com a readmissão de todos os músicos. Só depois poderemos discutir uma nova avaliação. Se pedirem para sermos avaliados antes de uma recontratação, é como fazer uma prova de admissão, coisa que já fizemos - diz Luzer.

A fundação ressalta que, ao decidir em janeiro avaliar individualmente os músicos, o objetivo não era decidir quem seria demitido e quem não seria. Parte dos que não fossem considerados aptos a integrar a orquestra poderia ter outras funções, entre elas a de repassar seus conhecimentos para a OSB Jovem.
- Desconheço essa proposta. E, se eu fosse considerado incompetente para continuar no meu posto, como poderia ser professor da OSB Jovem? - questiona Luzer.

Ana Botafogo e Alex Neoral se juntam aos pianistas Nelson Freire e Cristina Ortiz e ao maestro Roberto Tibiriçá na lista de artistas que, após a demissão dos músicos, cancelaram suas participações na temporada deste ano da OSB. Para a direção da fundação, eles estão sendo alvo de fortes pressões.
- Os artistas que estão cancelando suas participações estão num nível tão alto que é impossível exercer uma pressão sobre eles. Ninguém teria coragem de fazer qualquer tipo de pressão sobre o Nelson Freire, por exemplo. Isso é ridículo - afirma Luzer.
Ele diz que os demitidos não verão o espetáculo de sábado e que haverá apenas panfletagem do lado de fora:
- Se vaiássemos os músicos, seria um tiro no pé. Se a vaia acontecer, que seja espontânea do público