quinta-feira, 5 de maio de 2011

Blog Oficial do SindMusi

 Deputado Robson leite propõe criação de CPI para investigar FOSB

Por Tamara Campos - SindMusi 


Parlamentar encaminha sugestão em Audiência Pública na Alerj

         
Foi realizada hoje (5) uma Audiência Pública às 11h, na Alerj, para discutir a demissão por justa causa dos 36 músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira.  Durante o encontro, que lotou o Plenário e foi transmitido ao vivo pela TV Alerj, o deputado estadual Robson Leite (PT) propôs a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a verba que entra na Fundação Orquestra Sinfônica via renúncia fiscal.
- Se uma empresa injeta dinheiro na OSB por renúncia fiscal isso significa que é verba pública. É grave que a Fundação não tenha uma política transparente da destinação da renda advinda da Lei Rouanet, afirmou.
 
Já o Deputado Estadual Marcelo Freixo, que compunha a mesa, propôs uma reunião das Comissões de Defesa dos Direitos Humanos e da Cultura com o Conselho Curador da FOSB para tentar reverter as demissões dos músicos.
- Lamento que nenhum representante da Fundação OSB tenha comparecido. A audiência pública é um espaço das divergências e todos, obviamente, teriam direito a voz. A ideia é que pudéssemos chegar a uma conciliação e reverter as demissões. Tentaremos nos reunir na semana que vem com a fundação, em local escolhido por ela, disse o deputado.
 
Freixo disse que a situação deixou de ser do âmbito meramente da Comissão de Cultura e passou a envolver também a Comissão de Direitos Humanos quando se faltou com respeito aos músicos, quando foi usando a força para intimidar os instrumentistas da Orquestra Jovem, entre outros atos graves cometidos contra os músicos, tanto da OSB quanto da Jovem.
 
A denúncia do uso de intimidação foi feita pelo violinista da Jovem, Ayran Nicomedemo. Ele contou que Minczuk estava levando seguranças armados para os ensaios da Orquestra Jovem. Ayran contou também que o grupo não está ensaiando.
- Desde que fizemos a manifestação no concerto do Municipal do dia 9 de abril que não ensaiamos e nem tocamos. Eles estão nos pagando para que fiquemos quietos e calados em casa, disse. Segundo Ayran, o pagamento das bolsas até o mês de julho desse ano para os instrumentistas da jovem já está confirmado, mas os músicos não têm previsão de voltar a ensaiar.
 
Para o diretor artístico da Orquestra Petrobrás Sinfônica, Isaack Karabtchevsky, o ideal libertário que marcou a história da OSB foi corrompido.
 - A orquestra nasceu de um grupo de músicos estrangeiros fugidos do nazismo que viram no Rio a possibilidade de fazer arte com liberdade. Estabelecer um critério vertical depõe contra nossos músicos. É um exemplo execrável que deve ser combatido de Norte a Sul do país, disse o maestro.
O presidente da Federação dos trabalhadores em Difusão Cultural do RJ, João Daltro Almeida, declarou estar perplexo com a situação.
 - Tenho 57 anos de profissão, trabalhei em mais de 30 orquestras no país e em orquestras no exterior. Nunca vi tamanho uso indevido de poder. Minczuk tem que sair, afirmou.
 
A presidente da Comissão do Comitê de Música da UNESCO, Maria Luiza Nobre, alegou que a organização está preocupada com a imagem do Brasil no cenário mundial.
 - Este episódio tomou proporções enormes e já repercute na imprensa internacional. Estamos preocupados que o país tenha sua imagem afetada, já que a OSB é um símbolo nacional, que carrega até mesmo em sua sigla o nome de Brasil, disse Maria Luiza.
Na próxima semana haverá uma reunião em Brasília com o Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, para discutir o assunto.
Estiveram presentes na mesa da Audiência Pública o deputado estadual Robson Leite, que presidiu a audiência, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), a deputada estadual Myrian Rios (PDT), a presidente do Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, Déborah Cheyne, o presidente da Federação dos trabalhadores em Difusão Cultural do RJ, João Daltro Almeida, a presidente da Comissão do Comitê de Música da UNESCO, Maria Luiza Nobre e o diretor artístico da Orquestra Petrobrás Sinfônica, Isaack Karabtchevsky. A Fundação Orquestra Sinfônica não compareceu. No Plenário, além de vários músicos, marcaram presença a Deputada Estadual Aspásia Camargo (PV), o cineasta Silvio Tendler, e o diretor da Filarmônica do Rio de Janeiro, Florentino Dias.