quarta-feira, 6 de julho de 2011

Edu Lobo faz concerto à frente dos músicos demitidos da OSB

Solidário aos instrumentistas, compositor toca hoje no Oi Casa Grande

O Globo, Segundo Caderno - 6 de julho de 2011
Catharina Wrede

No dia 30 de abril, Edu Lobo compareceu ao concerto manifesto realizado pelos músicos demitidos da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) com a pianista convidada Cristina Ortiz, na Escola de Música da UFRJ, e se emocionou. Ao perceberem a comoção do compositor, os músicos da orquestra não pensaram duas vezes: propuseram a Edu um novo espetáculo, com ele à frente dos insurgentes. O convite foi aceito na hora e, hoje à noite, no Teatro Oi Casa Grande, às 21h, vai se concretizar.
- A decisão foi tão simples... Qualquer pessoa que pensa um pouco e que gosta de música e de músicos faria isso. O espetáculo na UFRJ foi lindo, com um público delirante. Fiquei realmente agradecido de estar fazendo parte deste concerto - diz Edu.

Do mesmo modo que aconteceu no concerto-manifesto, a apresentação de hoje à noite conta com a solidariedade de músicos de outras orquestras, como a Petrobrás Sinfônica e a Orquestra do Teatro Municipal. No programa, composições de Edu como "Beatriz", "Ciranda da bailarina" e "A história de Lily Braun" serão tocadas em formato sinfônico e cinco canções serão interpretadas somente pelo quarteto de Edu, como "Vento Bravo".
- Minhas composições são facilmente adaptadas para o formato de orquestra. Faço com muito praer - comente Edu.

Desde que foram afastados da OSB após se recusarem a realizar avaliações dedesenpenho propostas pelo maestro Roberto Minczuk, no início do ano, 36 músicos insurgentess - hoje, 33, após o retorno ao conjunto de três deles, Eliezer Conrado e os irmãos Ricardo e Paulo Santoro.
- estão agindo em duas frentes: organizando pequenos concertos de câmara em espaços cedidos a eles e lutando por uma reintegração à orquestra, o principal objetivo.
- Esse é nosso foco porque simplesmente nos sentimos como se tivessem roubado nosso carro. Temos o direito de pegá-lo de volta, ora! É nosso - protesta Luzer Machtyngier, ex presidente da comissão de músicos da OSB, hoje um dosporta-vozes dos demitidos. - O lado bom disso tudo é que agora temos tempo de fazer aquilo de que mais gostamos, tocar, coisa que não estaríamos fazendo na OSB, pois a temporada dela ainda não começou.

Os concertos de 2011 da OSB estão marcados para começar no início de agosto, mas alguns dos principais solistas convidados do segundo semestre cancelaram suas apresentações junto a orquestra, como os pianistas Cristina Ortiz e Nelson Freire e o violinista Joshua Bell, que tocaria dia 27 de agosto.
A respeito dos novos planos para a orquestra dos demitidos, Luzer afirma:
- Da forma como a OSB está sendo administrada, ela está carregando um peso tão grande que acho que o públco começa a ver a nossa nova orquestra como algo puro e verdadeiro. Por isso têm nos cobrado a fundação de fato de um novo conjunto.