quarta-feira, 27 de julho de 2011

O GLOBO: OSB faz proposta de reintegração dos demitidos

Documento, porém, não é bem recebido pelo Sindicato dos Músicos
Catharina Wrede(O Globo - Rio, pag 22)

A Fundação Orquestra Snfônica Brasileira (OSB) apresentou ontem ao Sindicato dos Músicos uma proposta de reintegração dos 33 músicos demitidos do conjunto, afastados desde abril após recusar-se a realizar avliações de desempenho propostas pelo maestro Roberto Minczuk.

O documento, elaborado pelos novos diretores artísticos da OSB, Fernando Bicudo e Pablo Castellar - Minczuk foi recentemente desligado do cargo -. dá aos júsicos três alternativas.

A primeira trata da reintegração dos 33 indurgentes através de um novo corpo artístico criado pela fundação, sm a regência de Minczuk, sem avaliações de desempenho, exclusividade à OSB e o novo regimento interno (qu inclui melhores salários). Se aderirem, eles manterão o piso salarial anterior.

- Essa possibilidade é estranha. Como uma fundação que mal administra uma orquestra vai conseguir gerenciar duas? - questiona Debiorah Cheyne, presidente do sindicato.

A segunda opção refere-se aos que não desejam voltar à OSB, garantindo a conversão da demissão por justa causa em simples. Já a terceira propõe a volta de 12 músicos pré-selecinados pela direção artística e pela nova comissão de músicos da orquestra, com adesão ao novo reimento e avaliações. Se a alternativa for acatada, os outros músicos escolherão entre as duas primeiras propostas.

- Estão reabrindo o diálogo, o que é bom, mas isso está acontecendo por conta da proximidade da estreia da temporada, pois não têm orquestra - diz Deborah, se referindo ao primeiro concerto da OSB, agendado para 10 de agosto.

A temporada 2011, porém, acaba de perder mais um convidado. O maestro Kurt Masur cancelou sua participação, segundo seus representantes, por motivos médicos.