quarta-feira, 27 de junho de 2012

MOVIMENTO.COM - Marcus Góes

 vivaldi-600
Mais um triunfo de OSB – Ópera & Repertório.


A versão em  forma de concerto, em primeira audição no Brasil, da ópera GRISELDA, de Vivaldi, foi mais um triunfo de inigualável valor artístico da OSB Ópera & Repertório . O TMRJ engalanou-se com tal evento.

Sob a regência de Marco Pace, a orquestra rendeu de modo magnífico, o que quer dizer rigorosamente dentro das tradições e regras do Barroco italiano, bem diferentes do Barroco alemão e do Barroco  francês. A sonoridade geral obtida foi contida e delicada, a marcação rítmica foi leve e não muito assinalada em cima dos tempos fortes, as poucas intervenções de metais foi discreta, tudo isso concorrendo para a existência de uma graciosidade ímpar.

Os solistas vocais estiveram todos dentro de uma uniformidade estilística admirável e todos cantaram muito bem, não sendo oportuno dar maior destaque a um ou outro.

Assim, o meio-soprano Luísa Francesconi no papel título, o soprano Juliana Franco no papel de Costanza, o soprano Lys Nardotto no papel de Ottone, o contratenor, mais propriamente sopranista, Razek-François Bitar no papel de Roberto, o tenor Johan Christensson no papel de Gualtiero e o meiossoprano Carolina Faria no papel de Corrado, contribuíram todos para uma edição de alto valor artístico sob o ponto de vista musical e estilístico.

À frente de tudo, os diretores artísticos da OSB Fernando Bicudo e Pablo Castellar juntaram mais um ponto valioso a seus cartéis, desta vez com o “plus” da raridade do título e com a especialização estilística verificadas. Mais um triunfo. Mais chuva de aplausos.

POVERI VERSI MIEI, GETTATI AL VENTO… (LORENZO STECHETTI)
MARCUS GÓES-JUNHO 2012