quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O Pirata - O Elenco

OSB Ópera & Repertório - Série Lírica
Segunda-feira, dia 1º de outubro às 20h no Teatro Municipal RJ.

Na sala de ensaios da OSB O&R o maestro Tiziano Severini prepara "O Pirata" de Vincenzo Belinni com a soprano Saioa Hernandez no papel de Imogene.


Conheça os solistas

Saioa Hernandez, soprano
Imogene
SAIOA HERNANDEZ - Ganhou o concurso internacional Bel Canto Vicenzo Bellini, que foi realizado no Teatro des Hauts de Seine de la ville de Puteaux (França), um prêmio que mostra seu talento especial para o repertório Bel Canto .Ms. Hernandez apresentou-se cantado em papéis como: Fiordiligi em 'Così fan tutte ", Rosina em" Il barbiere di Siviglia ", Rosalinde em" Die Fledermaus ", Gilda em" Rigoletto "," Les contes d'Hoffmann ", Lucia em "Lucia di Mammermoor ', Violetta em" La Traviata ", Micaela em" Carmen ", Mimi em" La Bohéme ", Suor Angelica em' Suor Angelica ', Cio Cio San em' Madama Butterfly '... Ela já apareceu como Imogene em 'Il Pirata "na Catalunha, sob a batuta de Sergio Monterisi eo papel-título de' Norma ', no Teatro Massimo Bellini de Catania oposto Gregory Kunde (Pollione) conduzida por Marco Zambelli no Festival de Bellini. Ela já treinou ambas as funções com a Sra. Montserrat Caballé, obtendo um grande sucesso de público e crítica. Ela foi recentemente estreou no Teatro de la Zarzuela como Solea, de 'El Gato Montés "a ópera de Penella, com o grande Cristina Hoyos coreografias e José Carlos regist Plaza.



Fernando Portari, tenor
Gualtiero





FERNANDO PORTARI - Com uma carreira internacional em franca ascensão, Fernando Portari estreou em 2010 com grande sucesso no mitico La Scala de Milão em Fausto de Gounod ao lado de Roberto Scandiuzzi. Recentemente esteve ao lado de Anna Netrebko na Staatsoper de Berlim na ópera Manon de Massenet, sob a direção do maestro Daniel Barenboim. Apresentou-se nos teatros La Fenice de Veneza, na Ópera de Roma, no Teatro São Carlos de Lisboa, Massimo de Palermo, na Deutsche Oper de Berlim, Tokyo, Helsinki e Varsovia. Atuou ainda em Anna Bolena com Mariella Devia no teatro Massimo de Palermo, e em La Traviata na Opera de Hamburgo e em Colonia. Apresentou se em La Boheme em Berlim e em Sevilha, e representou Werther noTeatro Bellini de Catania e em La Coruña.
Recebeu o Prêmio APCA e 2 vezes o Prêmio Carlos Gomes, tornando-se rapidamente nome presente nas temporadas líricas em Manaus, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro etc.





Igor Vieira, barítono
Ernesto



 IGOR VIEIRA -  Aclamado como “o destaque da noite” pela Opera  News Magazine e como “um triunfo” pelo San Francisco Chronicle, o barítono carioca Igor Vieira fez sua estréia profissional aos 17 anos no papel de Dancairo (Carmen/Bizet) no Municipal do Rio de Janeiro.
 Em Junho de 2010, Igor Vieira estreou com a San Francisco Opera, uma das companhias de ópera mais importantes do mundo, no papel de Happy (La Fanciulla del West/Puccini) tendo sido o primeiro barítono brasileiro a cantar com esta companhia. Em Setembro de 2011, Igor voltará aos palcos da San Francisco Opera no papel de Gubetta (Lucrezia Borgia/Donizetti) ao lado de Renee Fleming no papel-título.
Igor foi finalista mundial no V Concurso de Canto Luciano Pavarotti na Filadélfia, recebeu o Prêmio Margareth Tudor (Princeton – EUA) por dois anos seguidos e o Prêmio da Fundação Kaplan (Kansas City – EUA) como o destaque da temporada de 2003. Também foi segundo colocado nos concursos Henrique Nuremberg no Rio de Janeiro e da East Bay Opera League em San Francisco nos EUA



MAÍRA LAUTERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).

MAÍRA LAUTERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).

Ivan Jorgensen, tenor (Litulbo) e
Frederico de Oliveira, baixo (Goffredo)





IVAN JORGESEN - Natural do Rio de Janeiro, cursou o bacharelado em canto pela Escola de Música da UFRJ. Atualmente se aperfeiçoa com Paulo Louzada. Participou de cursos com Roland Hermann e Maria Venuti (Karlsruhe), Neyde Thomas e Rio Novello. Em 2007 atuou como solista na Fantasia coral de Beethoven com a OPES, sob a regência de Isaac Karabtchevsky. No mesmo ano participou, como solista, da ópera "L'Orfeo", em produção do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e da estréia brasileira da ópera "Arianna in Creta" de Händel, com a Symphonia Brasil Barroco, na Sala Cecília Meirelles. Protagonizou ainda "La Bohème" (2009), com a Cia. Lírica do Rio de Janeiro.
FREDERICO DE OLIVEIRA - Natural de Petrópolis (RJ), formou-se no bacharelado pela Escola de Música da UFRJ. Iniciou seus estudos musicais aos 17 anos, tendo aulas de violino e, posteriormente, de violoncelo. Seu interesse pelo canto ampliou-se após participar como cantor em diversos coros. Foi orientado pelos professores Marcelo Coutinho e Inácio de Nonno nos Festivais de Verão dos Canarinhos de Petrópolis, por Rio Novello e Neide Thomas nos Festivais de Inverno do Rio de Janeiro e por Lício Bruno, Edna de Oliveira, Ednéa de Oliveira e Marta Herr nos Festivais de Inverno do SESC. Atualmente é integrante do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Atuou em diversas montagens de óperas como solista, dentre as quais se destacam "Idomeneo", "A Flauta Mágica" e "As Bodas de Fígaro" de Mozart no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, além de várias obras de concerto, como a Nona Sinfonia de Beethoven, o Requiem de Marcos Portugal, a Ode à Rainha Mary de H. Purcell e a Cantata "Christ Lag in Todesbanden" de J. S. Bach.
MAÍRA LAUTERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).
TERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).
MAÍRA LAUTERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).
MAÍRA LAUTERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).
Maíra Lautert, soprano
Adele
 MAÍRA LAUTERT - Natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).



Tiziano Severini, regente

Tiziano Severini - Nascido em Roma, Tiziano Severini tem uma relevante carreira no cenário lírico italiano e mundial. Ele gravou para a Virgin Classics o vídeo de "La Bohème", estrelado por Luciano Pavarotti, Mirella Freni e Nicolai Ghiaurov em San Francisco. Sua discografia inclui títulos como "Romeu e Julieta" Vaccai (Prêmio da Crítica), "O Casamento de Ístria Smareglia", a versão completa de "Ana Bolena" com Dimitra Theodossiu, Ganassi e Sonia Sartori Fabio (recebeu elogios de todo o mundo), eu Lombard na primeira cruzada para a dinâmica e Genebra para a Escócia Mayr para o Opera Rara. Gravou um CD ao vivo inteiramente dedicado à obra de Mascagni, com a Orquestra e Coro do Teatro Verdi em Trieste, La Scala no Bolshoi e schöne Die Galathee de Suppe, retrato Le de Manon de Massenet por e Segredo Susanna de Wolf-Ferrari, com a Orquestra e Coro do La Fenice, em Veneza.



Coro Ópera Brasil
Jésus Figueiredo, regente do coro


MAÍRA LAUTERT, natural Rio Grande do Sul, estudou com Laura de Souza e atualmente cursa o bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do barítono Homero Velho. Em 2009 esteve em Milão (Itália) aperfeiçoando-se com Rita Patanè. Participou de workshops e masterclasses com Sandro Cristopher, Eduardo Álvares, Lício Bruno, Peter Dauelsberg e Karin Uzun (Brasil), Anette Küttembaum e Andreas Baumgartner (Alemanha) e Sherryl Milnes (EUA), Alexandra Lubchansky (Rússia) e Mitsuko Shirai (Japão). Entre suas principais apresentações, destacamse os concertos com a Orquestra do Theatro São Pedro (RS) e Orquestra da Unisinos (RS). Gravou e participou dos concertos com o Oratório de João Batista do compositor gaúcho Léo Shneider. Fez sua estréia em ópera junto ao Instituto de Cultura Musical da PUC-RS, onde foi a Segunda Dama na ópera "A Flauta Mágica" de Mozart. Integrou o grupo Ópera de Bolso de Porto Alegre, sob a direção de Luiz Paulo Vasconcellos. Foi Lucy na ópera "O Telefone" de Giancarlo Menotti, em comemoração aos 161 anos da Escola de Música da UFRJ. Fez parte do elenco da ópera "O Anão" de Alexander Zemlinsky, com a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Entre suas premiações constam o 1º lugar no VII Concurso Nacional Villa-Lobos de Vitória (ES) e 3º lugar no VII Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em Belém (PA).