terça-feira, 18 de setembro de 2012

Próximo Concerto - 1 de outubro

OSB Ópera & Repertório - Série Lírica
O PIRATA - Vincenzo Belinni



Vincenzo Bellini
O Pirata é uma ópera em dois atos escrita por Vincenzo Bellini aos 25 anos de idade com o libreto de Felice Romani a partir de uma tradução francesa da trágica peça Bertram, ou O Castelo de São Aldobrando de Charles Maturin. "O Pirata" estreou no La Scala em 27 de outubro de 1827.

Aos 18 anos Bellini deixa a sua Catânia natal e parte para Nápoles a fim de prosseguir os seus estudos musicais no Conservatório daquela cidade.
A última prova do Curso de Música era obrigatoriamente a apresentação pública de uma ópera. Para essa prova final de curso Bellini escreveu "Adelson e Salvini", obtendo um sucesso tão grande que o prestigiado Teatro de São Carlos de Nápoles lhe encomendou de imediato uma nova ópera. Isto passava-se em Fevereiro de 1825.
Um ano mais tarde, a 30 de Maio de 1826, "Bianca e Fernando" era levada pela primeira vez a cena naquele teatro.

É dessa altura que data a amizade do compositor com o libretista Felice Romani. Revêem juntos "Adelson e Salvini", que tentam apresentar no Teatro del Fondo sem qualquer resultado.
Surge então aquela que iria revelar-se a grande oportunidade na vida de Bellini, e que marcaria o verdadeiro início da sua fulgurante carreira de compositor: um convite do Scala de Milão.

Desse convite nasceria a ópera "Il Pirata". Bellini e Romani começaram a trabalhar nessa ópera em Maio de 1827 - um trabalho que se prolongaria por 5 meses. "Il Pirata" subiu pela primeira vez a cena no dia 27 de Outubro desse ano.

Esta foi a primeira ópera que Bellini e Romani fizeram juntos, marcando o início duma parceria que iria manter-se ao longo de 6 anos e de 8 óperas, sendo interrompida apenas em Abril de 1833 quando Bellini partiu para Londres. Das 12 óperas escritas por Bellini, incluindo neste número uma revisão e uma ópera que ficou incompleta, apenas 3 não tiveram libretos da autoria de Romani: os das duas primeiras ("Adelson e Salvini" e "Bianca e Fernando") e o da última ("Os Puritanos") escrita em Paris. Esta estreita colaboração do compositor com o libretista, terá certamente sido de uma importância fundamental para uma das virtudes frequentemente apontadas a Bellini, inclusive pelo próprio Richard Wagner:
a da perfeita harmonização entre o texto e a música.



              Maria Callas - O Pirata - "cena final"

OSB O&R - Série Lírica - Concerto VI

1º de outubro - 20h - Theatro Municipal RJ
 
OSB Ópera & Repertório
Tiziano Severini, regência
Igor Vieira, barítono | Ernesto
Saioa Hernandez, soprano | Imogene
Fernando Portari, tenor | Gualtiero
Ivan Jorgensen, tenor | Iitulbo
Frederico de Oliveira, baixo | Goffredo
Eliane Lavigne, soprano | Adele