segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Jornal do Brsil - Maria Luiza Nobre

 

OSB Ópera & Repertório estreia hoje ópera de Bellini no Brasil 

Jornal do Brasil - Maria Luiza Nobre
Hoje, às 20h, será a estreia brasileira da ópera O Pirata, de Vincenzo Bellini, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. E imaginem que a obra teve sua estreia  em outubro de 1827, em Milão. O evento será uma apresentação em forma de concerto com a OSB Ópera & Repertório e 12 músicos da Banda de Fuzileiros Navais. No palco estarão seis solistas e um maestro, todos excelentes profissionais, cada qual com carreiras distintas.

A temporada da OSB Ópera & Repertório é a grande surpresa do ano, com casas lotadas, tanto no espaço Tom Jobim quanto no Theatro Municipal, e apresentações minuciosamente produzidas, sucesso absoluto do grande Fernando Bicudo, atuando em duo com Pablo Castellar, ambos como diretores artísticos da OSB. É a festa que faltava na cidade, o bel canto presente, mesclando grandes solistas internacionais com o melhor da prata da casa, todos brilhando e fazendo música.

A grande soprano espanhola Saioa Hernandez será a sensação, e encarnará Imogene, que é o principal papel feminino. Saioa é considerada, por sua grande mentora a célebre soprano espanhola Montserrat Caballé, como a “diva do século”. Super atuante e talentosa, Hernandez já deu vida aos mais importantes personagens femininos do universo da ópera, cantando expressivamente tanto as “zarzuelas”  como sendo solista dos grandes oratórios.
O papel masculino principal, Gualtiero, terá vida pela voz de Fernando Portari, grande tenor brasileiro, que já pisou em palcos importantes como o Teatro alla Scala, em Milão, e o Teatro dell’Opera, em Roma. Portari é professor da Faculdade de Música da Universidade de Ribeirão Preto, sendo um dos mais atuantes tenores brasileiros na atualidade.
Também serão solistas o barítono Igor Vieira, no papel de Ernesto, o tenor Ivan Jorgensen, como Itulbo, o baixo Frederico de Oliveira, como Goffredo, e a soprano Eliane Lavigne, como Adele.

O regente será o maestro Tiziano Severini, que estudou violino e composição, além de ser grande especialista do bel canto, já tendo participado, inclusive, de importantes gravações de Ana Bolena e La Bohème, com Luciano Pavarotti e Mirella Freni. É um artista atuante nos teatros italianos, sendo nomeado diretor artístico do Teatro Comunale, em Treviso, e maestro da Orquestra Filarmônica de Veneto. Foi escolhido, em 2004, como diretor artístico da Orchestra Sinfônica del Friuli Venezia Giulia.