quarta-feira, 27 de junho de 2012

O GLOBO - Luiz Paulo Horta


MOVIMENTO.COM - Marcus Góes

 vivaldi-600
Mais um triunfo de OSB – Ópera & Repertório.


A versão em  forma de concerto, em primeira audição no Brasil, da ópera GRISELDA, de Vivaldi, foi mais um triunfo de inigualável valor artístico da OSB Ópera & Repertório . O TMRJ engalanou-se com tal evento.

Sob a regência de Marco Pace, a orquestra rendeu de modo magnífico, o que quer dizer rigorosamente dentro das tradições e regras do Barroco italiano, bem diferentes do Barroco alemão e do Barroco  francês. A sonoridade geral obtida foi contida e delicada, a marcação rítmica foi leve e não muito assinalada em cima dos tempos fortes, as poucas intervenções de metais foi discreta, tudo isso concorrendo para a existência de uma graciosidade ímpar.

Os solistas vocais estiveram todos dentro de uma uniformidade estilística admirável e todos cantaram muito bem, não sendo oportuno dar maior destaque a um ou outro.

Assim, o meio-soprano Luísa Francesconi no papel título, o soprano Juliana Franco no papel de Costanza, o soprano Lys Nardotto no papel de Ottone, o contratenor, mais propriamente sopranista, Razek-François Bitar no papel de Roberto, o tenor Johan Christensson no papel de Gualtiero e o meiossoprano Carolina Faria no papel de Corrado, contribuíram todos para uma edição de alto valor artístico sob o ponto de vista musical e estilístico.

À frente de tudo, os diretores artísticos da OSB Fernando Bicudo e Pablo Castellar juntaram mais um ponto valioso a seus cartéis, desta vez com o “plus” da raridade do título e com a especialização estilística verificadas. Mais um triunfo. Mais chuva de aplausos.

POVERI VERSI MIEI, GETTATI AL VENTO… (LORENZO STECHETTI)
MARCUS GÓES-JUNHO 2012

MOVIMENTO.COM - Leonardo Marques

griselda-600
Ópera de Vivaldi recebe muito boa interpretação da OSB O&R.
  
Griselda, o terceiro título da Série Lírica da OSB Ópera & Repertório e o primeiro apresentado no Theatro Municipal, é uma ópera em três atos de Antonio Lucio Vivaldi, sobre libreto de Carlo Goldoni, com base em outro libreto escrito anteriormente por Apostolo Zeno para o compositor Antonio Maria Bononcini, por sua vez baseado no Decameron de Giovanni Boccaccio.

Estreada em 1735 no Teatro San Samuele na Veneza do compositor, a obra conta a história da pastora Griselda, que, anos antes do início da trama da ópera, casada com o rei Gualtiero da Sicilia, deu à luz Costanza.  O rei enviou sua filha para ser criada por Corrado, príncipe de Puglia.  Anos mais tarde, ao enfrentar uma rebelião dos sicilianos, Gualtiero é obrigado a renunciar a Griselda, tendo Costanza, cuja real identidade lhe é desconhecida, como sua nova prometida.  Após as reviravoltas de praxe, comovido com a fidelidade de Griselda, Gualtiero a aceita novamente por esposa, e dá Costanza em matrimônio a Roberto, a quem ela realmente ama.

A versão concerto apresentada pela OSB O&R nesta segunda-feira, 25 de junho, foi bastante satisfatória.  Numa noite inspirada, o bom maestro italiano Marco Pace soube empregar estilo à interpretação e tirar da orquestra de cordas um som bastante homogêneo (os metais, na sua curta participação, não estiveram à altura das cordas).

As partes solistas, bastante virtuosísticas, foram defendidas a contento por um elenco equilibrado e com condições técnicas de enfrentar bem a partitura.  A mezzosoprano Carolina Faria (Corrado) foi bem melhor em seu segundo solo, La rondinella amante, que no primeiro, Alle minacce di fiera belva.  Menos satisfatório foi o contratenor sírio Razek-François Bitar (Roberto), que defendeu quatro árias com emissão desigual.  Já o tenor sueco Johan Christensson esteve bem como Gualtiero, e demonstrou ótima agilidade, especialmente em sua primeira ária, Se ria procella.

A soprano Lys Nardotto, que será Gilda num dos elencos do Rigoletto que o Municipal monta no começo de julho, esteve no geral muito bem como Ottone, apesar de ter desafinado em dois ou três grandes saltos vocais.  A mezzo Luísa Francesconi, como de hábito, exibiu sua técnica precisa como a protagonista Griselda e tirou de letra seus quatro solos ao longo da noite.  Uma ótima surpresa foi a soprano Juliana Franco, que emprestou a Costanza sua bela voz de timbre cristalino e boa técnica.  Ainda que tenha escorregado aqui ou ali, a soprano demonstrou ter um grande potencial a lapidar.  A conferir futuramente.
A próxima ópera em concerto da Série Lírica da OSB O&R, em 10 de setembro, será a imperdível Ariadne em Naxos, de Richard Strauss, com Eliane Coelho no papel-título.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

ISTOÉ - Músca Clássica


ESTRÉIA

Na segunda-feira 25, a Ópera & Repertório abrirá sua temporada lírica no Teatro Municipal do Rio de Janeiro com "Griselda" de Vivaldi. Trata-se da primeira audição no Brasil de uma ópera do compositor veneziano. No elenco outra novidade. Subirá ao palco um "contratenor", o jovem sírio Razek Bitar, no papel que era cantado originalmente por um "castrati". A regência ficara  com o maestro italiano Marco Pace.

Marcia Peltier - Jornal do Comércio










Nunca dantes

Griselda, que marca, hoje, a estréia da temporada lírica da OSB no Teatro Municipal, é, inexplicavelmente, a primeira ópera de Vivaldi - que escreveu 46 ou 49 óperas, os estudiosos ainda não chegaram a um acordo - encenada no Brasil. Para marcar o fato, o regente escolhido foi o italiano Marco Pace, especialista em Vivaldi, que surpreendeu os músicos da OSB nos ensaios, ao não olhar uma vez sequer para a partitura.

O GLOBO - Catharina Wrede




O GLOBO - "Griselda HOJE, 20h


domingo, 24 de junho de 2012

JORNAL do BRASIL - Maria Luiza Nobre


Jornal do Brasil  22/06/2012

 JB - Sol Maior

 
Maria Luiza Nobre


Première brasileira de 'Griselda' de Vivaldi


A OSB Ópera & Repertório fez récitas memoráveis em sua Série Lírica no Espaço Tom Jobim, no começo da temporada de 2012, e para marcar a mudança da série para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro a direção artística da Orquestra Sinfônica Brasileira, formada por Fernando Bicudo, brilhante ex-diretor do Theatro Municipal do RJ, e o competente Pablo Castelar, escolheu a ópera 'Griselda', de Antonio Vivaldi, para fazer a sua première brasileira, com a regência de Marco Pace, dia 25 de junho, às 20h.

Fernando Bicudo sabe todos os segredos do mundo lírico, além de sua imensa experiência como produtor e como realizador, e comemora que “é uma honra estrear esta obra-prima de Vivaldi. Griselda foi a obra que levou o compositor a ser respeitado no meio musical e um presente de reconciliação dele com Anna Girò, que era sua famosa pupila. É a primeira vez que uma ópera de Vivaldi será apresentada na íntegra no Brasil”.

A ópera será apresentada em forma de concerto e terá o papel principal vivido pela mezzo-soprano Luisa Francesconi, dona de uma belíssima voz. A soprano Lys Nardoto será Ottone, o contratenor sírio Razek-François Bitar será Roberto, o contratenor Johan Christensson como Gualtiero, a soprano Juliana Franco será Costanza e a mezzo-soprano Carolina Faria será Corrado.

O maestro Marco Pace é italiano de Milão, estudou violoncelo, piano e composição no Conservatório Giuseppe Verdi, e regência em Viena. Sua estreia como regente não poderia ter sido melhor, foi com a Orquestra de Câmara da Santa Cecilia, em Roma.

O BRAVO da coluna ao competente Fernando Bicudo que, a quatro mãos com o talentoso Pablo Castelar, dá o brilho necessário para a renovação da ópera em forma de concerto no Rio de Janeiro.

Monitor Mercantil - "Griselda" no Municipal

colunista de 114718"Griselda" no Municipal

Claude do Amaral Peixoto
Monitor Mercantil - 21/06/2012 - 20:06


Nessa segunda no Theatro Municipal será concretizado um velho sonho de Fernando Bicudo, um dos diretores artísticos da Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira, com a estréia da obra prima de Vivaldi Griselda, ópera inédita no Brasil.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira (AMOSB)



CONVOCAÇÃO – AGE – ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA




A Presidente da Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira (AMOSB), na forma do Estatuto vigente, convoca os associados da Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira (AMOSB), Associação inscrita no CNPJ sob o nº  05.812.483/0001-42, cujos atos constitutivos foram arquivados no RCPJ da Cidade do Rio de Janeiro, sob o nº 199.711, para participarem da Assembléia Geral Extraordinária, a ser realizada na sede do Sindicato dos Músicos, sito na Rua Álvaro Alvim, 24,  Grupo 405, Centro, nesta cidade, às 15 horas do dia 27 de junho de 2012 em primeira e às 15:15h em segunda convocação para discutir a seguinte ORDEM DO DIA:
1       – Discussão, votação e deliberação sobre a existência ou extinção da Associação de Músicos da OSB (AMOSB).
2       -   Apresentação e apreciação de cartas de renúncia de membros da Diretoria.
3       – Eleição de novos membros para a Diretoria em caso de manutenção da existência da Associação para suprir a lacuna deixada pelos cargos que renunciaram.
4       -   No caso de extinção da AMOSB, apreciação, discussão, votação e aprovação sobre a destinação do patrimônio.
Rio de Janeiro, 19 de junho de 2012




Ariane Petri – Presidente

quarta-feira, 13 de junho de 2012

OSB Ópera & Repertório - Temporada Lírica,  Theatro Municipal RJ 
Na sala de ensaios da OSB O&R começa a montagem para o concerto de estréia da Série Lírica no Teatro Municipal. "Griselda" de Vivaldi terá sua primeira audição no Brasil. 
Juliana Franco, Carolina Faria e Luisa Francesconi

Solistas de "Griselda" começam os ensaios com a orquestra.









Griselda é uma ópera em três atos, do compositor barroco Antonio Vivaldi (RV718). Baseada em uma história do Decameron de Boccaccio, tem libreto de Carlo Goldoni, adaptado de um libreto precedente, de Apostolo Zeno, e musicado pela primeira vez por Antonio Maria Bononcini. Essa primeira versão havia sido encenada em Milão, no Regio Ducal Teatro, em 26 de dezembro de 1718.
Vivaldi escreveu Griselda para a mezzo-soprano Anna Girò, que era próxima do compositor, tanto musical quanto pessoalmente (alguns a chamavam, maliciosamente "l’Annina del Prete rosso": a Aninha do padre ruivo).
Foi com Griselda que Vivaldi, antes considerado "plebeu" demais para ser ouvido na maioria dos teatros venezianos, finalmente conseguiu penetrar nesse fechado círculo, graças a mudanças políticas e artísticas ocorridas no período. Sua ópera foi apresentada pela primeira vez no Teatro San Samuele, em 18 de maio de 1735, em Veneza.

 Conheça os solistas:

Luiza Francesconi, mezzo-soprano "Griselda"
Johan Christensson, contra-tenor "Gualtiero"
Jacques Rocha, tenor "Corrado"
Simone Kermes, soprano "Ottone"
Juliana Franco, soprano "Constanza"
Razek François Bitar, contratenor "Roberto"
OSB Ópera & Repertório.
Marco Pace, regente.
OSB Ópera & Repertório - Temporada Lírica,  Theatro Municipal RJ
Dia 25, segunda-feira às 20h

terça-feira, 12 de junho de 2012

Quartas Clássicas - Concerto II

Série Quartas Clássicas volta essa semana  

Quartas ClássicasMúsicos da OSB
Ópera & Repertório
no BNDES



Série Quartas Clássicas, apresentada no Auditório do BNDES, volta esta semana com mais um espetáculo gratuito. Às 19h do dia 13, o grupo de metais da OSB Ópera & Repertório sobe ao palco para interpretar obras de Pixinguinha, Ary Barroso e a Suíte West Side Story, de Leonard Bernstein. O Auditório será aberto às 18h30.


Auditório do BNDES
Dia 13 de junho, quarta-feira às 19h

Grupo de Metais da OSB Ópera & Repertório
JEREMIAH CLARKE
Trumpet Voluntary (transcr. e arr. Ronald Dishinger)
BARBARA TATE
Suíte Circus
GILBERTO GAGLIARDI
Cantos Nordestinos
PIXINGUINHA
Lamentos (arr. Antonio Henrique Seixas)
ANTONIO CARLOS NEVES
Blues for Brass
ARY BARROSO
Aquarela do Brasil (arr. Maestro Duda)
LEONARD BERNSTEIN
Suíte West Side Story (arr. Jack Gale)

OSB O&R Recebe o maestro Pace



O maestro italiano Marco Pace irá conduzir  a ópera "Grizelda" de Vivaldi em primeira récita brasileira no Teatro Municipal do Rio.

O maestro Marco Pace entre Fernando Bicudo e Pablo de Leon




Na sala de ensaios da OSB Ópera & Repertório, as boas vindas ao maestro Carlo Pace do Diretor Artístico da OSB Fernando Bicudo e do spalla Pablo de Leon.

"Griselda" (Vivaldi)
Dia 25 de junho, segunda-feira às 20h no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.


  

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Ópera de Vivaldi em primeira audição no Brasil

Capa do libreto para a estréia de Griselda
publicado em 1735, Veneza

Griselda (Vivaldi)

Griselda é uma ópera em três atos, do compositor barroco Antonio Vivaldi (RV718). Baseada em uma história do Decameron de Boccaccio, tem libreto de Carlo Goldoni, adaptado de um libreto precedente, de Apostolo Zeno, e musicado pela primeira vez por Antonio Maria Bononcini. Essa primeira versão havia sido encenada em Milão, no Regio Ducal Teatro, em 26 de dezembro de 1718.
Vivaldi escreveu Griselda para a mezzo-soprano Anna Girò, que era próxima do compositor, tanto musical quanto pessoalmente (alguns a chamavam, maliciosamente "l’Annina del Prete rosso": a Aninha do padre ruivo).
Foi com Griselda que Vivaldi, antes considerado "plebeu" demais para ser ouvido na maioria dos teatros venezianos, finalmente conseguiu penetrar nesse fechado círculo, graças a mudanças políticas e artísticas ocorridas no período. Sua ópera foi apresentada pela primeira vez no Teatro San Samuele, em 18 de maio de 1735, em Veneza.
 Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 OSB Ópera & Repertório - Temporada Lírica,  Theatro Municipal RJ
Dia 25, segunda-feira às 20h no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Luiza Francesconi, mezzo-soprano. Johan Christensson e Jacques Rocha, tenores. Simone Kermes e Juliana Franco, sopranos. Razek François Bitar, contratenor. OSB Ópera & Repertório. Marco Pace, regente.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

RIO MÚSICA - Cultura


O GLOBO - Rio Show

O GLOBO - Segundo Caderno - Rio Show

Música

- Quinteto de Cordas da OSB Ópera e Repertório.
O grupo toca obras de Vivaldi, Strauss, Mozart e outros.
Centro de Referência da Música Carioca:
Rua Conde de Bonfim 824, Tijuca - 3238-3743.

Qui, às 19h30m. R$ 1. Livre.


quarta-feira, 6 de junho de 2012

Rio Música - CMRMC - Artur da Távola



Rio Música - Junho

7/619h30Rio Clássicos Quinteto de Cordas e Solista de Fagote da OSB Ópera e Repertório

 

Karolin Broosch (1º Violino), Ubiratã Rodrigues (2º Violino), Nayran Pessanha (Viola), Fernando Bru (Violoncelo), Saulo Melo (Contrabaixo) e Paulo Andrade (Fagote).
Obras de Vivaldi: Concerto em sol maior para cordas e Concerto para fagote e cordas em mi menor; W.A. Lozar: divertimento 3 KV 138, Strauss: Pizzicato Polka; e Mahle: Suite para cordasViajando pelo Brasil.
Rua Conde de Bonfim, 824 - Tijuca - RJ
Informações: 3238-3831 - cmrmcrj@gmail.com

terça-feira, 5 de junho de 2012

OSB.com.br

OSB Ópera & Repertório
OSB Ópera & Repertório
Músicos da orquestra se apresentam
nesta quinta-feira, no Centro de
Referência da Música Carioca.

Nesta quinta-feira, o Centro de Referência da Música Carioca, na Tijuca, espaço da Prefeitura do Rio, recebe os músicos da OSB Ópera & Repertório na Série Rio Clássicos. Obras de Vivaldi, Mozart, J. Strauss e Ernst Mahle estão no programa, que contará com a participação de um quinteto de cordas e solo de fagote. Os ingressos custam apenas R$ 1, e o concerto está agendado para as 19h30. Não perca!


7 de junho, quinta-feira, 19h30

Centro de Referência da Música Carioca (Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca)

Karolin Broosch, Ubiratã Rodrigues, violinos

Nayran Pessanha, viola

Fernando Bru, violoncelo

Saulo Melo, contrabaixo

Paulo Andrade, fagote


ANTONIO VIVALDI - Concerto em Sol maior para cordas
ANTONIO VIVALDI - Concerto para fagote e cordas em mi menor
WOLFGANG AMADEUS MOZART - Divertimento nº 3, KV 138
JOHANN STRAUSS - Pizzicatto Polka
ERNST MAHLE - 1ª Suíte Viajando pelo Brasil

sábado, 2 de junho de 2012

VEJA - Rio





 
     


  jornalista Rafael Teixeira






“Roteiro da semana – Concertos”

 “ OSB ÓPERA & REPERTÓRIO"
Seis músicos participam da apresentação:  Karolin Broosch e Ubiratã Rodrigues (violinos), Nayran Pessanha (viola), David Chew (violoncelo) , Saulo Melo (contrabaixo) e Paulo Andrade (fagote). Em pauta, obras de Vivaldi, Strauss, Mozart e Mahler, tocadas e comentadas pelos instrumentistas.
Centro de Referência da Música Carioca  Artur da Távola (156 lugares). Rua Conde de Bonfim, 824 ,  Tijuca. Tel.: 3238-3743. Quinta (7), 19:30 hs. R$ 1,00.”