terça-feira, 19 de março de 2013

Centenário Benjamin Britten


B
enjamin Britten
nasceu em Lowestoff, no Reino Unido, no dia 22 de Novembro de 1913. Aos 14 anos, segundo os seus biógrafos, teria já composto dez sonatas para piano e seis quartetos para cordas e ainda uma oratória e um poema orquestral intitulado 'Chaos and Cosmos'.


O compositor, também maestro, violoncetista e pianista, assinou dezenas de peças orquestrais, assim como para diferentes conjuntos de câmara, além de canções. Em 1953, por ocasião da coroação da rainha Isabel II estreou a ópera 'Gloriana'.

São também conhecidas as suas peças para crianças, como as 'Canções de sexta-feira' ('Friday afternoons'), e o 'Concerto para jovens', célebre guia dos instrumentos de orquestra, inspirado num tema do compositor barroco inglês Henry Purcell.'Morte em Veneza', baseada no romance homónimo de Thomas Mann, foi a última ópera que Britten compôs, em 1973, três anos antes de falecer.


1960: Estreia a ópera "Sonho de uma noite de verão"

Em 11 de junho de 1960, a estreia da ópera de Benjamim Britten baseada na peça de William Shakespeare marcou também a reabertura do luxuoso Jubilee Hall, totalmente restaurado. 


    O compositor inglês Benjamin Britten

Sonho de uma noite de verão foi uma composição encomendada que, por pouco, não ficou pronta a tempo. Faltando apenas dez meses para a estreia, Britten não havia sequer iniciado o trabalho. Para um compositor tradicional, acostumado a receber encomendas com tempo limitado, não seria difícil. Mas para o compositor inglês foi um problema e tanto.
Por isso, em agosto de 1959, ele decidiu utilizar como libreto a comédia romântica de mesmo título de William Shakespeare. Em uma carta, ele escreveu: "Simplesmente não há tempo suficiente para escrever um libreto. Usamos o que estava à mão". Com seu amigo e companheiro, o tenor Peter Pears, ele adaptou a comédia de Shakespeare Sonho de uma noite de verão para uma ópera em três atos.

Sucesso apesar das críticas
A escolha do conteúdo rendeu críticas à dupla. Diziam que eles estavam obcecados por um sucesso retumbante, tendo optado por isso por uma obra de Shakespeare conhecida pelo público. Henry Purcell já havia adaptado o mesmo libreto em Fairy Queen e, Carl-Maria von Weber, em Oberon.
A adaptação, aliás, também foi alvo de comentários negativos. Os vários personagens mitológicos e alegóricos estariam servindo apenas para agradar à elite, enquanto a figura de Puck teria sido caracterizada para cativar o público menos exigente.

Alguns críticos chegaram a questionar a proximidade do personagem de Puck à figura popularesca de Robin Hood. O personagem teria sido ainda mais trivializado quando, em vez de colocar em cena um cantor de ópera, a dupla escolheu para o papel um ator que mais falava do que cantava.
Apesar das críticas, a ópera foi um sucesso de público, que ficou maravilhado e entusiasmado com a música. Desde Purcell, ninguém havia conseguido expressar o conteúdo desta obra de maneira tão particular.

Nos anos 1960, Benjamin Britten e Michael Tippett eram os mais conhecidos e renomados compositores da Inglaterra. Entretanto, Britten recebeu a encomenda da ópera porque, ao contrário de Tippett, não era vanguardisda e em nenhum momento adaptou seu estilo aos modismos de época.
A estreia de Sonho de uma noite de verão no dia 11 de junho de 1960 foi um sucesso que não se restringiu apenas a uma apresentação. Em pouco tempo, o espetáculo estava em cartaz nas principais óperas do mundo.